sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Combater as alterações climáticas

No próximo mês de Dezembro, líderes políticos de todo o mundo vão reunir-se em Copenhaga para debater as alterações climáticas e tentar chegar a acordos que permitam dar continuidade aos Protocolos de Kyoto.

O nosso planeta encontra-se à beira de uma mudança irreversível devido às alterações climáticas e os sinais disso são cada vez mais visíveis. As consequências poderão ser terríveis.

Não há muitas dúvidas que os principais responsáveis pelas alterações climáticas temos sido nós, humanos. Temos, por isso, a responsabilidade de fazer alguma coisa para tentar inverter o rumo dos acontecimentos antes que o fenómeno das alterações climáticas se torne irreversível.

E quando afirmo que temos essa responsabilidade, não me refiro apenas aos nossos líderes políticos. Todos nós temos uma quota parte dessa responsabilidade. Todos os dias libertamos para a atmosfera dióxido de carbono, o elemento principal causador do aquecimento global do planeta. A utilização do automóvel, o desperdício de água e a utilização de sacos de plástico são só alguns exemplos de coisas que fazemos todos os dias e que têm impacto, directa ou indirectamente, no aquecimento global do planeta.

É tempo, por isso, de começarmos todos nós, a ter uma atitude mais ecológica, mais responsável no nosso dia a dia. E quando o fizermos, teremos então toda a legitimidade de pedir aos nossos líderes que cumpram a parte deles.

Deixo-vos, então, uma lista de coisas simples que podemos fazer todos os dias para ajudar a combater as alterações climáticas:

  • Utilizar as escadas em vez dos elevadores.
  • Trocar as lâmpadas normais por lâmpadas economizadoras de energia.
  • Desligar os aparelhos eléctricos em vez de os deixar em stand-by.
  • Preferir os transportes públicos ao automóvel.
  • Reutilizar os sacos de plástico do supermercado.
  • Comprar garrafas de vidro em vez de plásticas.
  • Aproveitar a luz do Sol em vez de acender as luzes.
  • Utilizar as máquinas de lavar roupa e louça com a carga completa.
  • Evitar a utilização de água quente.
  • Não descarregar por completo o autoclismo se não for necessário.
  • Se houver alternativa, evitar as viagens de avião.
  • Separar os lixos recicláveis e deitá-los nos ecopontos.
  • Utilizar pilhas recarregáveis.
  • Evitar a utilização de papel.
  • Tomar um duche em vez de um banho de imersão.
  • Incentivar os outros a terem uma atitude mais ecológica.
  • Não fumar.
  • Não deixar as luzes acesas.
  • Plantar árvores.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Global Climate Week

No âmbito da campanha "Seal the Deal" promovida pela ONU, está a decorrer a Global Climate Week. Trata-se de uma semana preenchida por diversas iniciativas e que coincide com uma reunião preparatória da cimeira de Copenhaga, que terá lugar em Dezembro, e que conta com representantes de todo o mundo.

É uma campanha de sensibilização pública e em cada dia da semana são sugeridas diversas acções que podemos concretizar. Para o dia de hoje, entre outras coisas é-nos pedido que contactemos os nossos líderes políticos no sentido de os sensibilizarmos para a questão das alterações climáticas e lhes pedirmos que tomem acções urgentes para proteger o nosso planeta.

Como forma de participar nesta acção, decidi enviar um email a todos os partidos e movimentos candidatos às próximas eleições legislativas e, também, ao Presidente da Comissão Europeia. Deixo-vos esse texto:


Caros Srs.,

O nosso planeta encontra-se à beira de um processo irreversível de mudança que nos irá afectar a todos, sem qualquer excepção. Falo das alterações climáticas provocadas pelo aquecimento global que se tem vindo a verificar e cuja principal causa tem sido atribuída, sem grandes dúvidas, a nós humanos.

Desde o início da Revolução Industrial, no séc. XVIII, que o nosso desenvolvimento tem sido conseguido à custa dos recursos do planeta, explorados sem qualquer limite e ignorando as consequências. Só nos últimos anos temos vindo a adquirir uma nova consciência da forma como o planeta tem sido afectado e de como isso nos pode prejudicar no futuro, podendo até pôr em causa a nossa existência.

Mas o que foi feito até agora não chega. As alterações climáticas que são já visíveis e que serão irreversíveis dentro em breve poderão ter consequências catastróficas para o nosso planeta e, consequentemente, para todos nós. Não é demais lembrar que a nossa existência depende da boa saúde do planeta em que vivemos e que não temos para onde fugir.

Várias cimeiras e encontros internacionais têm tido lugar nos últimos anos, numa tentativa de se conseguirem acordos para a redução das emissões de dióxido de carbono e para o apoio a um desenvolvimento mais sustentável e ecológico. Essas tentativas têm sido minadas por vontades políticas menores, ou por exigências feitas de parte a parte que impedem a celebração de acordos mais abrangentes e efectivos.

No próximo mês de Dezembro irá ter lugar mais uma cimeira, desta vez em Copenhaga, para dar continuidade aos acordos de Kyoto. É o momento ideal para conseguir algo mais e partir para um novo modelo de sociedade onde o desenvolvimento se faça de uma forma mais sustentada e tendo em conta o equilíbrio do nosso planeta.

Uma vez que as eleições legislativas no nosso país irão ter lugar antes da cimeira de Copenhaga, decidi enviar este texto a todos os partidos e movimentos candidatos a essas eleições, sem qualquer excepção. Irei, também, fazer chegar este mesmo texto ao Presidente da Comissão Europeia, através do site da CE.

Meus senhores, é tempo de deixar o "faço se vocês também fizerem" e passar para o "faço mesmo que vocês não façam".

O tempo urge.

O planeta agradece.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Campanha Seal the Deal

No próximo mês de Dezembro, entre os dias 7 e 18, representantes dos governos de todo o mundo vão reunir-se em Copenhaga, na Dinamarca, para tentar responder a um dos maiores desafios que a humanidade enfrenta: as alterações climáticas. Este encontro vem na sequência das cimeiras do Rio de Janeiro (1992), Kyoto (1998) e Bali (2007). Os países envolvidos irão tentar chegar a um acordo sobre as medidas a tomar para combater as alterações climáticas, como a redução das emissões de dióxido de carbono e a aposta nas energias renováveis.

No âmbito desta cimeira, as Nações Unidas lançaram a campanha Seal the Deal, com o objectivo de aumentar a consciência dos nosso políticos e da opinião pública em geral para a importância de um acordo global em Copenhaga.

Uma das iniciativas da campanha foi o lançamento de uma petição online que será apresentada aos governos de todo o mundo. Esta petição serve para lembrar aos nossos governantes que devem chegar a um acordo justo, equilibrado e efectivo em Copenhaga, que proteja o nosso planeta e permita a construção de uma economia sustentável que beneficie todas as nações.

São também sugeridas outras acções para desenvolver durante esta semana. Para obterem mais informações sobre esta campanha e assinarem a petição, devem visitar o site http://www.sealthedeal2009.org/.