segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

#twittmedula

No próximo dia 13 de Fevereiro vai realizar-se mais um #twittmedula, o primeiro de 2012!

Trata-se de uma iniciativa promovida por alguns Twitters, com o objectivo de angariar doadores de medula óssea.

Mais informações em @twitt_tribuh.

domingo, 13 de junho de 2010

domingo, 9 de maio de 2010

Persepolis

Os actuais protestos no Irão iniciaram-se em Junho de 2009, após uma eleição presidencial ganha pelo actual presidente, Mahmoud Ahmadinejad. Esse resultado foi contestado pelo líder da oposição, Mir Hossein Moussavi e pelos seus apoiantes, que iniciaram protestos nas ruas de Teerão. Apesar dos protestos formais de Moussavi, os resultados das eleições foram confirmados pelo líder religioso, o Ayatollah Ali Khamenei. Os protestos aumentaram de intensidade, tendo-se verificado confrontos com forças policiais e apoiantes de Ahmadinejad, de onde resultaram algumas mortes.

Os protestos têm-se mantido até hoje, com manifestações contra o presidente eleito. A todo este movimento deu-se o nome de Revolução Verde. Desde o início que os apoiantes de Moussavi adoptaram a cor verde como símbolo dos seus protestos.

Estes são já considerados os maiores protestos desde a revolução de 1979, em que o regime monárquico foi deposto e o Irão passou a ser uma república islâmica. Esta revolução foi liderada pelo Ayatollah Ruhollah Khomeini, que regressou ao país após 14 anos de exílio para depôr o Xá Reza Pahlavi e tornar-se no chefe máximo do país.

Em 2007, surgiu nos cinemas um filme que nos dá uma boa perspectiva histórica do Irão e nos ajuda a perceber um pouco do que motiva os actuais protestos no Irão.

O filme tem o título de Persepolis. É um filme francês de animação, baseado no romance autobiográfico de Marjane Satrapi (que também dirigiu o filme, em conjunto com Vincent Paronnaud). A história começa um pouco antes da revolução iraniana de 1979 e conta a vida de Marjane desde a sua adolescência até ela ser expatriada, já com 22 anos. Venceu vários prémios internacionais.
O título do filme faz referência à cidade histórica de Persépolis, a antiga capital do império persa e situada no actual Irão.